Entrevista Chefe William Alexandre

William Alexandre

 Chefe William Alexandre

BM- Quanto tempo trabalha na área ?

WA- Profissionalmente tenho 13 anos de batalha, mas já estou circulando na cozinha desde muito cedo, comecei com 9 anos.

BM- Fale um pouco da sua trajetória professional?

WA- Como disse antes iniciei muito cedo, meu interesse pela cozinha foi estimulado pela minha avó e minha mãe. Com 14 anos eu fazia bolos e alguns quitutes para vender, entre 16 e 17 anos  fiz o meu primeiro curso de cozinha (auxiliar de cozinha ou 2º cozinheiro) este curso foi na escola de cozinha do Sindicato de hotéis, bares e restaurantes de São Paulo. Depois de concluir o curso fui contratado para trabalhar em uma padaria de supermercado, meu contrato era de atendente de balcão coisa que pouco fiz, pedi para o responsável uma oportunidade de aprender uma outra função, ele aceito então fiquei um mês limpando a masseira até que ele me chamou para ajudar em outros setores da padaria, estudava de manhã e trabalhava no período da tarde era bem puxado, mas eu aprendi muito. Meu interesse era fazer Senac de Águas de São Pedro, mas meus pais não tinham condições para me manter, então terminei o colegial regular e pensei em ingressar na faculdade de nutrição, pesquisei sobre a profissão e conclui que não era um curso que preencheria a minha expectativa. Depois de sair da padaria do supermercado fui trabalhar no que apareceria (telemarketing, operador de caixa e etc..), um dia indo para o trabalho observei um anuncio de uma escola de gastronomia, comentei com a minha namorada na época hoje minha esposa !  Sobre começar a estudar, ela me incentivou muito. Lá estou conhecendo a escola e sai dela com uma matricula de curso técnico em gastronomia 1 ano, fiz curso e conclui na seqüência cursei o curso tecnológico em gastronomia e pós em docência em gastronomia. Durante os meus estudos tive muitas dificuldades e algumas pessoas me ajudaram a superar as dificuldades, outras pessoas me deram oportunidades. Uma das oportunidades que tive foi de estar professor comecei com 22 anos e estou até agora.Agradeço muito a minha esposa por me apoiar, minha família e alguns colegas de curso e sou muito grato Professor Elias que viu em mim um professor e fez uma indicação cega para coordenação da faculdade.

BM- Onde você busca inspiração para desenvolver os seus pratos?

WA – A minha inspiração vem de diversas formas: leitura, fotos, pinturas, musica e etc. Vejo muito o que esta acontecendo no mundo, pesquiso sobre novas tendências , novos chefs, novos ingredientes, novos equipamentos e novidades em geral. Tento colocar no prato toda a minha carga de conhecimento e referências e assim criar um estilo próprio de trabalho.

BM- A gastronomia mundial vem sofrendo uma serie de mudanças, muita coisa nova, muitas idéias, de todas essas novidades que vem surgindo o que na sua opinião realmente vai ficar nos restaurantes ?

WA-Acredito que Sous Vide é uma das técnicas de cozimento que vai permanecer nos restaurantes do mundo todo. O minimalismo na montagem de pratos também terá sua vida prolongada, a utilização de produtos orgânicos também é uma constante nas cozinhas com tendência a aumentar, a regionalização da cozinha pelos chefs é o hit do momento e deve ter uma longa duração.

BM-Como você vê a gastronomia em São Paulo e no Brasil hoje?

WA- São Paulo é um das capitais mais ecléticas do mundo aqui temos de tudo, temos os melhores restaurantes do Brasil e também os piores, podemos comer caviar, foie gras, trufas e outras iguarias em um restaurante super sofisticado e no mesmo momento sair do restaurante e comer um cachorro quente vendido em uma van  ali bem perto do restaurante sofisticado. Acho que temos comida para todos os gostos em São Paulo. No Brasil temos um grande problema que é o custo alto de novas tecnologias, mesmo assim temos potencial mundial para nos tornarmos o maior celeiro de novos talentos, assim como a Espanha teve seu momento à tempos. Precisamos de vontade de algumas pessoas para tornar nossa gastronomia mais visível ao mundo.

 BM- Na sua opinião como essas novas tendências da gastronomia estão contribuindo para o Mercado ?

WA- Boa parte das novas tendências acrescentam muito para gastronomia, mas temos alguns modismos que são logo descartados. Atualmente os chefs são mais pesquisadores não são somente cozinheiros, estas novas tendências criam um grau de exigência maior, sendo assim   os chefs desenvolvem trabalhos mais complexos e com uma carga de conhecimento e referencias muito maior do que a anos atrás.

BM- Para  quem estão iniciando na área agora, qual seria seu conselho?

WA- Se apaixone todos os dias por gastronomia, leia, estude, atualize-se dedique-se, crie, experimente, saboreei, sinta, fique cansado mas satisfeito pelo trabalho realizado com sucesso

Contato Chefe William Alexandre

www.facebook.com/williamgastronomia